terça-feira, 20 de outubro de 2009

ÉTICA, SUSTENTABILIDADE E O PAPEL DA COMUNICAÇÃO

ÉTICA, SUSTENTABILIDADE E O PAPEL DA COMUNICAÇÃO
Estas palavras e conceitos estarão cada dia mais conectados

Autor: Aser Cortines


Em uma roda de amigos, nas conversas de botequim, nos encontros empresariais, nos atos religiosos, no meio político, enfim em todos os momentos da vida que envolvem gente, as palavras ética e sustentabilidade estão cada vez mais presentes. Utilizadas de forma completamente distintas, estas duas palavras estarão cada dia mais conectadas. Para que possamos falar de ética, precisaremos falar inicialmente sobre a palavra moral. Os termos moral e ética vêm sendo utilizados por muitos com o mesmo sentido e não sem razão, uma vez que recorrendo as origens latina e grega das duas, encontraremos a palavra costumes.

Como tem dito a professora Terezinha Rios é importante fazer a distinção entre estas duas palavras. Moral será para nós o conjunto de normas, regras, procedimentos e leis que nos permitem viver em sociedade. A ética, por ter na sua essência o bem comum, está pautada em princípios e tem como papel principal exercer uma crítica permanente sobre a moral. Dentro desta lógica, diferentemente da moral, que se ajusta quando temos grupos e culturas diferentes, a ética tem a pretensão de ser universal e permanente. No entanto esse conceito tem avançado com a evolução do nível de consciência da humanidade.

O conceito de sustentabilidade, por sua vez, durante muitos anos, foi apropriado por aqueles que viam na questão ambiental um dos maiores, senão o maior, problema do Planeta. Não tendo a menor dúvida de que se não adotarmos uma postura radicalmente diferente em relação aos nossos padrões de consumo e poluição não teremos futuro, temos também clareza que muito mais precisa ser feito.

Dentro deste contexto foi construída a Carta da Terra. Participaram da redação do texto pessoas representando a grande maioria dos Países do nosso Planeta e, por esta razão, muito mais do que um documento de países ou de organizações, a Carta da Terra pertence aos povos do planeta. O documento está formatado em dezesseis grandes princípios, agrupados em quatro grandes blocos que são: Respeitar e Cuidar da Comunidade de Vida, Integridade Ecológica, Justiça social e Econômica e Democracia, não Violência e Paz. Tendo como grande referencial a Carta da Terra o termo sustentabilidade assume a sua verdadeira dimensão.

Assim sendo, para que possamos assegurar a verdadeira sustentabilidade teremos que levar em consideração todos os seus princípios. E é também dentro deste contexto, tendo como pano de fundo a Carta da Terra, que a ética irá avançar. Será possível admitir sustentabilidade sem ética? E sermos éticos com atitudes e posturas não sustentáveis? Por esta razão estas duas palavras estarão cada vez mais conectadas e talvez em um futuro muito mais próximo do que imaginamos, representem a mesma coisa. E o papel da comunicação? É preciso tornar absolutamente claro, para os já quase 6,7 bilhões de habitantes do nosso planeta estas questões. Atingindo esse objetivo a comunicação terá cumprido o seu papel mais nobre que é o de assegurar um mundo melhor para todos. Mesmo não estando ainda preparados ou absolutamente convictos de que este seja o melhor mundo para nós, talvez seja possível chegar a um consenso de que este é o mundo que queremos e sonhamos para nossos filhos e netos. ad

Aser Cortines

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Pensamento da Madrugada...

Desisti de tentar explicar o inexplicável, resolver o que não tem solução, hoje apenas VIVO, logo sou FELIZ...

Pensamento da Madrugada...

Desisti de tentar explicar o inexplicável, resolver o que não tem solução, hoje apenas VIVO, logo sou FELIZ...

Martha Medeiros


'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.

Primeiro: a dizer NÃO.

Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.

Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.

Você não é Nossa Senhora.

Você é, humildemente, uma mulher.

E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.

Tempo para fazer nada.

Tempo para fazer tudo.

Tempo para dançar sozinha na sala.

Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.

Tempo para sumir dois dias com seu amor.

Três dias.

Cinco dias!

Tempo para uma massagem.

Tempo para ver a novela.

Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.

Tempo para fazer um trabalho voluntário.

Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.

Tempo para conhecer outras pessoas.

Voltar a estudar.

Para engravidar.

Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.

Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.

Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?

Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.

A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.

Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.

Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.

Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.

E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'


Martha Medeiros - Jornalista e escritora

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

DEIXE DE SER VITIMA DOS PROBLEMAS E TORNE-SE PARTE DA SOLUÇÃO...

video

E agora? Hoje é sexta!!!

Pois é e agora hoje é sexta... nossa que pânico, mais um final de semana, ou "O FINAL DE SEMANA", como saber? sabendo oras, eu sei que será "O FINAL DE SEMANA", porque é assim que quero que seja, sei que vou te ver, está tudo planejado e arquitetado na minha cabeça, não você não me avisou que estaria aqui, mas eu sinto, sinto quando você está por perto, sinto sua presença, poderia ter ido pra longe, poderia estar muito longe daqui, assim não correria o risco de te encontrar, mas resolvi que vou encarar, quero te ver, não importa, não vai me ferir, não vai me magoar, quero apenas te ver, mais uma vez, não como das outras, talvez a última, talvez a primeira vez que vou de fato te ver, que você irá de fato me enxergar, saber o que ficou pra trás, os sonhos que tive, esperava de fato que você viesse me procurar, afinal foram tantos acontecimentos, afinal já tem tanto tempo, afinal você dizia que me amava, afinal dentro de mim ainda sinto que o que me afasta de qualquer outro é algo dentro de mim que diz que um dia você ainda irá aparecer, como naquele sonho, ilusão talvez, mas não adianta ninguém me faz feliz como você me fez, de uma forma totalmente louca, sem nenhuma razão, você dominou meu coração de tal maneira que só sobrou espaço para hospedes passageiros, viajantes que precisam de um lugar agradável pra estar por algumas noites, mas nunca uma morada definitiva, porque sua presença é tão forte que incomoda qualquer um que deseje ocupar este lugar...

"Procurei me manter afastado mas você me conhece faço tudo errado, tudo errado"
Charlie Brow Jr.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

PRA VOCÊ GUARDEI O AMOR...

A MÚSICA QUE HÁ EM MIM NO DIA DE HOJE... :)

Pra Você Guardei o Amor

Nando Reis

Composição: Nando Reis

Pra você guardei o amor
Que nunca soube dar
O amor que tive e vi sem me deixar
Sentir sem conseguir provar
Sem entregar
E repartir

Pra você guardei o amor
Que sempre quis mostrar
O amor que vive em mim vem visitar
Sorrir, vem colorir solar
Vem esquentar
E permitir

Quem acolher o que ele tem e traz
Quem entender o que ele diz
No giz do gesto o jeito pronto
Do piscar dos cílios
Que o convite do silêncio
Exibe em cada olhar

Guardei
Sem ter porque
Nem por razão
Ou coisa outra qualquer
Além de não saber como fazer
Pra ter um jeito meu de me mostrar

Achei
Vendo em você
E explicação
Nenhuma isso requer
Se o coração bater forte e arder
No fogo o gelo vai queimar

Pra você guardei o amor
Que aprendi vendo meus pais
O amor que tive e recebi
E hoje posso dar livre e feliz
Céu cheiro e ar na cor que arco-íris
Risca ao levitar

Vou nascer de novo
Lápis, edifício, tevere, ponte
Desenhar no seu quadril
Meus lábios beijam signos feito sinos
Trilho a infância, terço o berço
Do seu lar

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Versos em melodia...

Faço dos versos melodia
que aquece minha alma fria
em uma quarta-feira sombria
tudo em mim vira poesia
 
um raio de sol brotaria
um compasso criaria
uma flor germinaria
 
notas ao vento jogaria
em teus braços sonharia
doces beijos eu daria
 
fazendo teu coração de bateria
junto ao meu em sintonia
criando uma sinergia
no compasso da melodia
 
Nesta manhã tão fria
Ah! Como eu queria!!!
 
Morgana Fernandes - 23/09/2009

Carinhoso

Toquinho

Composição: Pixinguinha / João de Barro

Meu coração
Não sei porque
Bate feliz, quando te vê
E os meus olhos ficam sorrindo
E pelas ruas vão te seguindo
Mas mesmo assim, foges de mim

Ah, se tu soubesses
Como sou tão carinhoso
E muito e muito que te quero
E como é sincero o meu amor
Eu sei que tu não fugirias mais de mim

Vem, vem, vem, vem
Vem sentir o calor
Dos lábios meus
À procura dos teus
Vem matar esta paixão
Que me devora o coração
E só assim então
Serei feliz, bem feliz

Uma vontade de falar de AMOR...

Hoje me bateu uma vontade,
uma vontade louca de falar de amor,
uma vontade louca de sentir o amor
de viver
de sonhar
de cantar
de tocar
de cheirar
de beijar
e por fim hoje me deu uma vontade louca de libertar o amor,
deixa-lo assim livre, leve  e solto
compartilhar esse amor bonito
esse amor gostoso
esse amor que é meu e de mais ninguém
esse amor que é nosso, que é vosso
descobri que minha paixão é amar
amo os que em mim o fazem despertar
amo os que deixam o amor entrar
amo simplesmente o gesto de amar
e assim mesmo sem revisar
este amor vou aqui compartilhar...
 
Morgana Fernandes - 23/09/2009
 
E nesse clima de amor deixo uma música de Chico Buarque... dispensa maiores comentários!
 
Chico Buarque
 
O que será (à flor da pele)

O que será que me dá
Que me bole por dentro, será que me dá
Que brota à flor da pele, será que me dá
E que me sobe às faces e me faz corar
E que me salta aos olhos a me atraiçoar
E que me aperta o peito e me faz confessar
O que não tem mais jeito de dissimular
E que nem é direito ninguém recusar
E que me faz mendigo, me faz suplicar
O que não tem medida, nem nunca terá
O que não tem remédio, nem nunca terá
O que não tem receita

O que será que será
Que dá dentro da gente e que não devia
Que desacata a gente, que é revelia
Que é feito uma aguardente que não sacia
Que é feito estar doente de uma folia
Que nem dez mandamentos vão conciliar
Nem todos os ungüentos vão aliviar
Nem todos os quebrantos, toda alquimia
Que nem todos os santos, será que será
O que não tem descanso, nem nunca terá
O que não tem cansaço, nem nunca terá
O que não tem limite

O que será que me dá
Que me queima por dentro, será que me dá
Que me perturba o sono, será que me dá
Que todos os tremores me vêm agitar
Que todos os ardores me vêm atiçar
Que todos os suores me vêm encharcar
Que todos os meus nervos estão a rogar
Que todos os meus órgãos estão a clamar
E uma aflição medonha me faz implorar
O que não tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem governo, nem nunca terá
O que não tem juízo

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sonha comigo???

Quero viver em um Oasis, um lugar onde sempre haja sol, onde eu possa acordar todos os dias ouvindo o canto dos pássaros, com o barulho do mar compondo a melodia, quero viver em um lugar que ao entardecer eu sempre possa ver o sol se por no horizonte, e que a cada amanhecer virando de costas eu o veja nascer no mar, nascendo junto com ele um novo dia cheio de oportunidades, quero uma cabana de madeira, que da janela do meu quarto ao acordar pela manhã eu possa avistar minha plantação de ipês amarelos e pra completar a paisagem, muitas rosas, rosas naturais de todas as cores, algumas orquídeas, enfeitando o tronco das arvores, e mais uma colméia e muitos pássaros, esquilos, castores, animais de todas as espécies, um banco de madeira à sombra de um eucalipto onde eu possa sentar e contar minhas historias ao calor de uma fogueira que aqueça as possíveis noites frias, e iluminando um escuro quase que total, quero ter um lustre de estrelas brilhando sob minha cabeça e se confundindo com o clarão do fogo a iluminar minha face, e em meio a esse silêncio quase que total ouvir a voz da natureza me chamando pelo nome através das vozes da noite, do barulho da fogueira do quebrar das ondas, por fim quero estar em paz com ela, quero senti-la e sentir que junto a ela mora a verdadeira felicidade, quero sentir a terra, quero deixar a chuva molhar meu corpo, quero deitar na areia da praia e sentir a chuva beijar minha boca e desfrutar todo o deleite do sabor doce deste beijo, renovar minhas forças todas as manhãs ao mergulhar no mar, sentir a força das ondas quebrando sob meu corpo, quero deixar a onda me levar, não quero lutar contra, quero ao mergulhar ter instantes de inércia, me sentir parte do mar e depois ressurgir para a vida, quero deitar na minha rede da varanda, quero que todas as noites sejam de lua cheia para que todas as noites eu sinta as transformações dela em meu corpo, mudando o que sou, como penso e o que sinto, quero sentir a força da natureza agindo em meu corpo, curando minha alma, acalentando meu coração, quero acordar todos os dias e poder ver meus filhos correndo livres pelo quintal, sem cercas, sem grades, sem culpa e sem medo, e assim então sentindo a natureza em todas as suas formas, quero cuidar dela como ela cuida de mim, quero retribuir mesmo que de maneira ínfima todo o prazer que a ela em toda sua plenitude me proporciona, quero por fim deitar nas pedras da encosta e em silencio ouvir apenas o barulho do mar batendo nas pedras fazendo compasso com as batidas de meu coração, quero fechar os olhos e num instante mágico sentir a brisa do mar bagunçando meus cabelos e enfim envolta de toda essa magia adormecer, e ao acordar quero ter a certeza de que um dia nada disso será apenas sonho, quero acordar e ter a certeza de que ajudei a cuidar e transformar o lugar que vivo no mundo que sempre sonhei e no sorriso de cada criança quero ter a certeza de que vive ali a esperança de que esse Oásis não existe apenas nos meus sonhos, quero fazer com que todos compartilhem deste mesmo sonho e sinta ele presente cada vez que ouvir um pássaro cantar, uma rosa desabrochar, uma gaivota voar, um novo dia recomeçar...