sábado, 23 de maio de 2009

Carta de Despedida...


Carta de Despedida...

Oi minha paixão Proibida… meu sonho bom… meu amado…

Não sei se vou conseguir te ver antes de você partir, nem tão pouco se um dia nossas mãos se entrelaçarão novamente, ou se nossos corpos deitarão juntos na mesma cama, se em teus ouvidos farei juras de amor e desejo, e em teus olhos verei o céu e as estrelas em teu sorriso, não tenho como saber se serei capaz de voar tão alto outra vez, como voava quando ouvia suas juras de amor intermináveis, se meu corpo vai arder de tal maneira a incendiar o seu em nossas caricias, te entregando meu corpo sem malícia, nem ao menos sei se algum dia um outro vai me fazer sentir todas essas coisas incríveis, se conseguirei novamente enxergar a beleza das flores numa manhã de inverno, se o por do sol terá o mesmo brilho e a lua o mesmo fascínio, a chuva o mesmo sabor, acreditei e me atirei sem medo, vergonha ou pudor nesta que pode ser só mais uma história de amor?



Onde ele foi tão intenso, sereno, puro e verdadeiro que não sobrou espaço pra nenhuma dor ou rancor, esse proibido, devasso, insano e imoral que prefiro chamar apenas “amor”, um sentimento desprovido de qualquer culpa, alimentado por um desejo incontrolável de estar perto, de ficar ao lado, um proteger sem ver, um querer sem poder, um sentir sem tocar, um romance sem par, um amor sem amar, um sofrer sem viver, tenha a certeza de que por mais que nunca mais seu rosto eu veja, que suas mãos firmes minha pele macia toquem; que nada mais exista, ao fechar os olhos posso sentir meu peito se abrir, o coração disparar, até então sua boca beijar, e novamente sentirei o toque suave dos seus lábios, o calor delirante de suas mãos, o brilho estonteante dos seus olhos, a luz radiante do seu sorriso, e por este breve instante de silêncio e loucura, de desejo e ternura, de doença e de cura, quase posso sentir seu respirar ofegante, ouvir as batidas do seu coração descompassado e nervoso diante de mim, resta à certeza de que estou condenada a ter você pra sempre do meu lado e sempre distante de mim, tal como a saudade de um sonho bom, uma realidade reprimida, uma paixão não vivida, uma história não resolvida, de um amor sem fim, ao menos pra mim…

Para sempre em meus sonhos…

Sua Paixão proibida…

3 comentários:

  1. que triste, me sinto assim.

    ResponderExcluir
  2. É TRISTE E A MAIS PURA REALIDADE... É COMO ESTOU!

    ResponderExcluir
  3. Despedidas podem originar reencontros... :)

    ResponderExcluir

Vou adorar saber sua opinião...